Turma 2022 visita a Astra, amplia conhecimento em Logística e sobre o trabalho do jovem

Os jovens que fazem parte da turma 2022 do Projeto Preparando o Futuro, da ABCJ, tiveram na manhã do dia 2 de abril uma oportunidade única de muito aprendizado. Eles estiveram em visita técnica à planta 6 da empresa Astra, localizada no Jardim Planalto, em Jundiaí. Mais do que uma simples visita, os estudantes puderam ver ‘in loco’ muito do que aprendem na sala de aula do curso de Operador de Logística do Senai, e ainda presenciaram como é o trabalho nessa grande empresa.

A ABCJ se encarregou do transporte dos alunos até o local e lá eles foram recepcionados pelo Gerente de Recursos Humanos, João Storrari, que há anos colabora com a ABCJ. Ele fez uma explanação sobre “O perfil do jovem que a Astra contrata” e deixou muito claro que o que leva uma empresa daquele porte contratar uma pessoa em início de carreira é o potencial que ela apresenta. E ofereceu dicas sobre Conhecimento, Habilidades e  Atitudes (CHA), destacando que qualquer pessoa pode ser dispensada por seu comportamento.

Depois dessa palestra cheia de dicas importantes para os jovens, o grupo ainda assistiu a uma minuciosa explicação a respeito de todo o funcionamento da parte de Logística da Astra. Apresentado pelo encarregado de Armazém da Astra, Jonas Oliveira, o funcionamento de cada pequena parte do processo de distribuição das mercadorias foi detalhado pelo especialista que tem mais de 30 anos de experiência dentro da Astra. Os estudantes viram a importância de se conhecer as diferentes etiquetas que os produtos recebem para facilitar o acesso e a localização dos itens.

Os alunos puderam tirar dúvidas, conhecer os detalhes do armazenamento e do processo diretamente dentro do Centro de Distribuição, verificando pessoalmente o processo, capaz de encantar e chamar a atenção até dos mais leigos. A Astra recentemente passou a contar com colaboradoras do sexo feminino no trabalho de distribuição dos produtos e isso também mereceu destaque por parte dos dois profissionais da empresa, como sendo algo que vem se mostrando bastante eficiente. São hoje três as jovens que fazem parte desse time.

Para os alunos da ABCJ, a oportunidade foi única. “Foi fascinante ver de perto a teoria que o professor ensina, na prática. Acredito que a organização é a chave da logística, e ver como a Astra é tão bem organizada foi surreal. Sobre o jovem no mercado de trabalho, acredito que seja uma construção. Sem saber fazer, nós não desenvolvemos a habilidade, e sem querer fazer nós não desenvolvemos nem conhecimento”, descreveu a aluna Luiza Rocha Oliveira.

O jovem Vinícius Leonardo da Silva Garcia frisou a importância das orientações passadas por Storrari. “Pude compreender que é tido como um diferencial interessante a essas instituições os candidatos que apresentem uma boa desenvoltura, e acima de tudo o ‘CHA’, conceito da administração que tem sua base em: Conhecimentos, habilidades e atitudes. Em outras palavras, pode-se dizer: o saber, o saber fazer e o mais importante, o querer fazer.”

A estudante Sícile Thalita de Oliveira Matos também prestou atenção às dicas sobre o comportamento que as empresas buscam. “A linguagem corporal e verbal, a forma da mão pousada, a respiração ofegante, o bater de pernas, os olhos desviados e o nervosismo no teste são pontos observados e levados em conta. Sua graduação em Harvard vira poeira se você não souber como se portar e mostrar por que razão foi até aquela entrevista.”, avalia.

“A entrada no mercado de trabalho pode ser uma tarefa desafiadora, principalmente para jovens. Mas ao contrário do que muitos pensam, não são somente as hard skills que importam na hora da contratação. As empresas também avaliam a capacidade de comunicação, potencial e todas as outras soft skills. Dessa forma, é essencial ter conhecimentos técnicos, mas também ser uma pessoa integra e empática”, concluiu a aluna Renata do Nascimento Mariano.

A estudante Maria Eduarda Malagori Amorim fez uma ampla reflexão tendo como base os ensinamentos passados pelo gerente de RH. “O importante é olhar para si e ver o que está faltando. São as habilidades técnicas? São as habilidades comportamentais? A comunicação assertiva está em falta? Ter um senso crítico em relação às suas capacidades é de extrema necessidade. É por ele que você consegue fazer um checklist do que melhorar em si mesmo e, consequentemente, se sentir cada vez mais preparado e capaz para estar dentro de uma empresa.”

EQUIPE ABCJ

Deixe um comentário