Necessidades: o que você realmente precisa?

Satisfazer as necessidades básicas e planejar ser mais. Parece simples e lógico. Mas o que é o suficiente para uns pode não ser para outros. Como equilibrar essa balança? A resposta é individual e só pode ser elaborada se fizermos autoexames constantes sobre nós mesmos. Foi sobre isso que os alunos do Programa “Preparando o Futuro” da ABCJ refletiram na manhã deste sábado (27), após a palestra da psicóloga Kátia Cristina Alves Soares.

Integrante da Equipe ABCJ há muitos anos, Kátia tem larga experiência no atendimento de crianças e adolescentes e propôs exercícios importantes de reflexão para os alunos. Para Yasmin de Aquino, a principal mensagem foi a de que “não conquistamos nada sentados e vendo a vida passar. Conseguimos entender que tudo podemos conquistar se tentarmos evoluir e correr atrás dos nossos objetivos.”

O jovem Marcus Vinícius de Souza destacou que a palestra foi tocante. “Todos precisamos nos esforçar para atingir nossos objetivos diários, sem julgar o caminho do próximo e sempre agradecendo por tudo que temos. Todos somos iguais, cada um com seu processo de autorrealização”.

A aluna Luana Santos frisou a importância de ter objetivos definidos pois nem sempre o que nos parece essencial à primeira vista realmente é. “Nesse período da adolescência, é comum sentir ansiedade, sentir-se insuficiente e querer algo que outros possuem, mas devemos ser gratos pelo que temos e sentir-se bem com isso. A vida é um eterno ciclo! Sempre é tempo de lutar e prosseguir.”

Para a estudante Thaíssa Brito, precisamos aprender a superar os desafios. “Temos sempre de olhar para frente, mas nunca nos esquecer do caminho e do processo pelo qual passamos para chegar até nosso objetivo. Precisamos ser ‘ricos naquilo que o dinheiro não compra’, seremos gratos pela vida e por tudo o que temos.”

“Estar satisfeito consigo está ligado às suas necessidades, suas lutas e suas conquistas. Então buscá-las depende apenas de você. Não cobice a conquista do outro e continue sua batalha. Faça como Maslow e siga sua pirâmide como uma escada, subindo um degrau de cada vez”, ensina o estudante Matheus da Silva.

EQUIPE ABCJ

Deixe uma resposta